domingo, 23 de abril de 2017

Citação do Dia - 23/04/17

"Incluir a literatura entre os agentes da transformação social é uma reflexão ingénua e idealista."


José Saramago

sábado, 22 de abril de 2017

Parceria - Quinta Essência

Parte de algo maior...


Tenho uma novidade que me deixa muito feliz! Consegui uma parceria com uma das chancelas de um dos grupos editoriais mais conhecidos no nosso país, o grupo Leya Portugal. 

A editora com quem estabeleci parceria chama-se Quinta Essência. Especializa-se em literatura destinada ao universo feminino. Tanto obras de ficção, como de não ficção se destinam a esse público-alvo.

Se estiverem interessados em conhecer esta editora ou outra chancela da Leya podem fazê-lo, respetivamente, em:


Para começar esta parceria, tenho interesse na leitura de uma das obras mais recentes da editora: "A Herança Perdida", de Katie Agnew. Parece excelente, espero que esteja à altura das minhas espetativas.



"Sophia Beaumont-Brown é uma das raparigas mais badaladas de Londres. É pena que esteja agora nas primeiras páginas dos jornais pelas piores razões… Deserdada pelos pais e sem sítio para viver, salta de sofá em sofá, sem rumo. O seu único conforto vem da avó Tilly, uma antiga estrela de Hollywood e a única pessoa que ainda tem fé nela. Nas cartas que lhe escreve, a avó conta-lhe os segredos da sua admirável vida: da agitação dos tempos da guerra em Inglaterra aos estranhos enigmas da história familiar, sem esquecer, claro, o bem mais precioso que alguma vez possuiu: um magnífico colar de pérolas. Tilly, a quem não resta muito tempo de vida, tem um derradeiro desejo: mostrar à neta a adorada jóia. O único entrave? Ninguém sabe onde está… E Sophia terá de contar com a ajuda de Hugo, o seu melhor amigo, para descobrir o paradeiro da relíquia e assim realizar o sonho da avó.Uma saga que une três mulheres, e nos leva a percorrer vários mundos, desde o dos mergulhadores de pérolas no Japão ao da alta-sociedade inglesa antes da Segunda Guerra Mundial; de Tóquio a Londres e Nova Iorque, a história de uma jóia inestimável que muda a vida de quem a usa…"

Deixo-vos, assim, a sinopse e, se tudo correr bem, em breve divulgarei a minha opinião acerca deste livro!

Citação do Dia - 22/04/17

"Amar e não ser amado é o maior tormento; ser amado e não amar é a maior injustiça."


António Vieira

quinta-feira, 20 de abril de 2017

Elfanos - O Legado

Acabou a normalidade...


Elfanos é o primeiro, e até agora único, livro de Dud@. Não conhecia a autora. Aliás, ainda não conheço porque não há muita informação disponível, no entanto sabemos que é portuguesa. 

É sempre bom ler um livro de uma autora portuguesa, ainda mais se for bom, o que, na minha opinião, é o caso. Quero também agradecer à Capital Books por me terem, gentilmente, cedido um exemplar deste livro em formato digital.



Este livro começa com um mundo normal. Isso, normal, não perfeito, não bom, apenas normal. Joana era uma rapariga, bem... Normal. Era Maria-rapaz mas orgulhava-se disso. 

Apesar de ser normal, Joana sempre se sentiu deslocada, como se não pertencesse àquele ambiente. Até o seu corpo se manifestava, deixando de poder comer certos alimentos. Se comesse carne, por exemplo, vomitava. Algo não estava bem, ela sabia-o.

O seu grupo de amigos era, também, normal (que surpresa). Patrícia sofria de violência doméstica, como já tinha referido, este não era um mundo bom, era um mundo comum. Tânia, Gonçalo e Luís sofriam de todos os problemas de adolescentes e mais alguns.

Quando um Elfo do Reino de Elfanos conta a Joana que ela é mais do que imagina, várias situações estranhas acontecem, fazendo-a perceber o quão leais eram os seus amigos.

Agora, o grupo de amigos embarca com Marcus numa viagem que revelaria muito acerca do passado escondido de Joana. São obrigados a enfrentar inimigos e a constituir alianças improváveis. Estariam à altura do desafio? 

Gostei da normalidade que encontramos no início da história. São vidas reais, não são embelezadas com falsos pormenores. Sinto que podia sair de casa e esbarrar com alguém na rua numa situação semelhante a uma das personagens. Quero dizer, até eu podia estar numa dessas situações. Qualquer um de nós. São vidas comuns. 

Por diversas vezes, após essa normalidade passar achei as situações um pouco "rebuscadas". Por exemplo, porque iriam adolescentes acampar e levar consigo armas, como espadas, aljavas e arcos? Como conseguiriam vencer inimigos, quando não tinham qualquer experiência num combate sério? Bem, em retrospectiva, percebo que podiam ter instintos mais aguçados que as pessoas comuns, mas no momento, ao ler esses trechos, pareceu-me demasiado irreal. 

Algo que me impressionou foi a força de vontade de Joana. Após tantos enganos e desgraças, a rapariga continua a lutar pelo que acredita, pelo que acha correto. Não acho que ela seja uma daquelas personagens de ferro que nos impressionam por nunca vacilarem, não! Joana é, como todos nós, frágil. Chora, deixa-se cair. Mas tem sempre força para se levantar e lutar.

Acima de tudo, considero a leitura deste livro um ótimo momento de entretenimento. A linguagem é simples e acessível, não dispensando o calão típico da adolescência, que confere à obra uma leveza extraordinária. Terminei o livro muito pouco tempo após começar a ler. Não porque fosse pequeno, tem cerca de 300 páginas, mas porque me vi tão entretida e embrenhada na história que não pude parar...

Com um final completamente inesperado, Elfanos promete uma continuação. Quero dizer, espero que venha a existir uma, preciso de saber o que acontece àquele grupo de amigos e àquele reino mágico.



Citação do Dia - 20/04/17

"Aqueles que não fazem nada estão sempre dispostos a criticar os que fazem algo."



Oscar Wilde

quarta-feira, 19 de abril de 2017